quarta-feira, 26 de junho de 2013

A REVOLTA DOS R$ 0,20 CENTAVOS

LEITURA BÍBLICA
Salmos  37.3-7.18-19Confie no Senhor e faça o bem; assim você habitará na terra e desfrutará segurança. 4 Deleite-se no Senhor, e ele atenderá os desejos do seu coração. 5 Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele e ele agirá; 6 Ele deixará claro como a alvorada que você é justo, e como o sol do meio-dia que você é inocente. 7 Descanse no Senhor e aguarde por ele com paciência; não se aborreça com o sucesso dos outros, nem com aqueles que rejeitam o mal. l 18 O Senhor cuida da vida dos íntegros e a herança deles permanecerá para sempre. 19 Em tempos de adversidade não ficarão decepcionados; em dias de fome desfrutarão fartura.


De tempos em tempos o Brasil amanhece com uma energia diferente. Uma multidão se levanta contagiada pela emoção e pelo sentimento patriótico tão característico do brasileiro em busca de mudanças sociais, civis e financeiras no País, e por mais estranho que pareça estas situações não são novidades. Em 1904 o sanitarista Osvaldo Cruz conseguiu tornar obrigatória a vacinação contra a varíola causando a revolta de milhares de pessoas contrárias. Em 1954 o então presidente Getúlio Vargas suicidou-se deixando uma carta com severas críticas aos seus opositores levando aproximadamente 3 milhões de pessoas às ruas para protestar. Em 1984 um grande movimento pedindo a volta das eleições diretas abolidas desde 1964 levaram aproximadamente 2,5 milhões de pessoas às ruas. Recentemente, em 1992 após as denúncias até hoje controversas em torno do governo Fernando Collor levaram outros milhões de pessoas às ruas protestando para retirá-lo da presidência. Agora, em 2013 um aumento de R$ 0,20 centavos gerou outra grande comoção popular. A partir de São Paulo protestos aconteceram em praticamente toda as principais capitais do País levando também mais de 1 milhão de pessoas às ruas para protestar pelos tais R$ 0,20 centavos. Alguém fez uma conta e descobriu que, em São Paulo, este aumento repassado a todos os meios de transporte coligados chegaria a uma receita de R$ 600.000,00 de reais ao mês para o governo, ou para os empresários, conforme o entendimento de cada um, porém ninguém disse que considerando-se dias úteis a despesa por pessoa seria de aproximadamente R$ 8,00 (0,20 x 2 = 0,40 x 20 dias úteis = R$ 8,00). Deflagrada a tal revolta dos R$ 20 centavos palavras de ordem começaram a aparecer no meio da população destoando dos tais R$ 0,20. Eram pessoas pedindo saúde, honestidade na política, escolas etc. Destoando de outros episódios semelhantes um quebra-quebra generalizado por pessoas mal intencionadas entre algumas até bem intencionadas elevou o patamar da situação de protesto para “revolta” e ai como diriam os mais antigos “o caldo entornou”:  Bancos foram depredados, lojas foram roubadas, carros foram queimados, e uma boa centena de pessoas ficou ferida entre policiais e protestantes.
DIANTE DISTO.
Qual a sua opinião? Você acha correto o cristão sair às ruas e protestar?
Romanos 13 diz: “Toda pessoa esteja sujeita às autoridades superiores, pois não há autoridade que não venha de Deus”. Isto comprova o que já sabemos: Toda autoridade provém de Deus inclusive os governos. A autoridade é um dom entregue ao homem para que ele possa organizar a terra. Nós como cristãos devemos respeitar as autoridades enquanto elas estiverem no poder, e enquanto nada for efetivamente comprovado contra elas. Nós não temos como “questionar”  a autoridade delegada ao homem sob pena de colocar sobre nós o mesmo peso lançado sobre aqueles a quem questionamos. Veja o que diz o versículo 2 – “...e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação”. A nossa obrigação como cristãos e nos submeter as autoridades constituídas certos de que elas estão instituídas pela permissão de Deus.

Se as autoridades são constituídas por Deus, porque então fazem coisas erradas e desonestas?

A cada um de nós foi dado o livre arbítrio para decidir as nossas atitudes. Um homem constituído de autoridade pode tomar uma decisão agradável a Deus ou não. Isto vai depender da forma como ele compreende a autoridade divina e em que nível deseja respeitá-la. Em 1ª. Coríntios 6.12 lemos – “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém...”.  Aprendemos assim que temos ilimitadas possibilidades de atitude, porém nem todas elas são convenientes para a nossa salvação. Outro fator são as circunstâncias impostas pelo próprio Deus. No livro do Êxodo 4.21 está escrito – “...faças diante do faraó todas as maravilhas que tenho posto na sua mão. Mas endurecerei o seu coração para que não deixe ir o povo” – Perceba isto: O próprio Deus estaria tornando as coisas mais difíceis, endurecendo o coração do faraó, tudo isto para mostrar mais tarde o seu grande poder e glória sobre as autoridades humanas. Esta passagem nos ensina que nem sempre a opressão aparente de uma determinada força política é motivo para revoltas. Deus pode estar usando esta condição para em um futuro muito próximo mostrar ao mundo o seu poder e a sua glória. Provérbios 19.2 diz – “Não é bom proceder sem refletir e peca quem é precipitado”. O Cristão deve pensar antes de agir, deve orar antes de tomar uma atitude e jamais deve compactuar com outros fora da visão de Deus. Toda precipitação leva a resultados desastrosos pois ela elimina etapas importantes entre elas a meditação na palavra de Deus e a busca de respostas mediante a oração.