domingo, 8 de setembro de 2013

As perguntas de Agur. Jesus acalma tempestades


Amados irmãos em Cristo Jesus, vamos abrir as nossas bíblias no livro de Provérbios, capítulo 30, onde leremos os versos quatro e cinco. Este livro foi quase todo escrito pelo sábio Salomão a respeito de quem já tivemos a oportunidade de ministrar, entretanto existe neste livro um conjunto de provérbios que não pertence a sabedoria de Salomão e sim à sabedoria de um professor árabe de um tribo ismaelita do norte da Arábia cujo nome era Massá. Seu nome era Agur, filho de Jaque um dos oráculos do reinado de Salomão.  Assim como muitos árabes, pai e filho eram muito sábios, porém os dois se converteram a um padrão superior ao conhecimento dos homens: A sabedoria de Deus, na qual todos nós devemos estar inseridos, e todas as vezes que um homem atinge esta condição duas coisas acontecem: A primeira é que este homem é cheio de um padrão sabedoria e unção cujas fontes são desconhecidas até mesmo para ele, e a segunda é que se torna impossível manter esta unção dentro de nós sendo necessário partilhar com o máximo de pessoas. Em Provérbios 22.6 está escrito: “Ensina o menino no caminho em que deve andar e mesmo quando envelhecer não se desviará dele”. Isto aconteceu com Agur. Ele cresceu, não se desviou e pode fazer ainda mais; ter uma coleção de Provérbios registrados pelo rei Salomão em consideração a amizade e o amor que o rei tinha pelos dois, pai e filho. Hoje o Espírito Santo de Deus, em respeito ao amor do Pai Jeová e do Filho Jesus, estará registrando no livro da vida importantes anotações sobre você. Espero em Cristo Jesus que estas anotações sejam as mais belas homenagens em consideração à sua presença e também ao seu respeito por este momento especial onde partilharemos a palavra de Deus. Se você então já encontrou Provérbios 30 acompanhe a leitura do texto comigo dos versos 4 e 5 – Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome e qual o nome do seu filho se é que o sabes? (quinto) Toda palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nEle.
A palavra de Deus é viva e atual, ela nos remete ao passado, nos guia no presente e nos mostra o futuro. Este texto do árabe Agur aponta para diversos livros escritos antes e depois do seu tempo.  Logo no início temos uma pergunta: Quem subiu ao céu e desceu? Ora! Claro que o Messias, aquele que morreu e ressuscitou ao terceiro dia e agora tem as chaves da morte e do inferno. Qual o nome dele? O nome é Jeová Deus, e qual o nome do filho dele? Cerca de 900 anos antes Agur pergunta o nome do filho do pai que haveria de vir: Jesus de Nazaré, o Messias, o Leão de Tribo de Judá. Isto mostra a unção depositada sobre a vida deste desconhecido nome bíblico. Há porém três perguntas intrigantes e elas vão nos direcionar nesta pregação fazendo-nos viajar quase mil anos para chegar à época da popularidade de Cristo, aproximadamente no segundo ano do seu ministério em um conhecido texto da palavra de Deus. Agur, tomado pelo poder da revelação em torno das coisas de Deus, acerta não dois, mas três coelhos em uma só cajadada. Sim! Porque o texto ao qual ele nos remete está descrito pela boca de três dos apóstolos: Mateus, Marcos e Lucas. Será na boca destes três profetas onde compreenderemos a resposta para três das perguntas de Agur: Quem encerrou os ventos com seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu as extremidades da terra? Se você deseja compreender mais viaje comigo nesta história abrindo a sua bíblia no livro do médico Lucas, capítulo 8, a partir do versículo 22 onde encontramos o texto intitulado  Jesus acalma tempestades.

O texto diz: 22. Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: "Vamos para o outro lado do lago". Eles entraram num barco e partiram. 23. Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo. 24. Os discípulos foram acordá-lo, clamando: "Mestre, Mestre, vamos morrer! " Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e ficou tranqüilo. 25. "Onde está a sua fé? ", perguntou ele aos seus discípulos. Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: "Quem é este que até aos ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem? "
       EVOLUÇÃO: Quando lemos este texto podemos notar alguns fatos importantes para o nosso dia a dia. Se você abrir os seus olhos e os seus ouvidos espirituais poderá contemplar muitos ensinamentos revelados 900 anos antes através de Agur, confirmados nesta mensagem e que poderão ser de grande ajuda para você e toda a sua família na atualidade. Este é um dos poucos textos onde vemos o poder de Deus operar sobre os 4 elementos principais da natureza em apenas um ato. Basicamente a constituição de todas as coisas na face da terra e a transformação delas depende de 4 ingredientes. O primeiro deles é a terra; Jesus sai da terra e logo então sobe em um barco para poder seguir a sua viagem. O segundo a água; O barco necessariamente precisava entrar na água para cumprir o propósito de transportar Jesus e os seus discípulos.  O terceiro o fogo; Onde está o fogo? Na tempestade. Veja que a palavra não diz um forte vendaval, ou um forte temporal e sim uma tempestade. Em uma tempestade ocorrem os relâmpagos, fortes línguas de fogo capazes de atingir o solo a uma temperatura em torno de 5.000 graus centígrados.  Por último mas não necessariamente nesta mesma ordem o vento (ou ar); E evidentemente em uma tempestade há muito vento.
Como sempre não queremos pregar mais do mesmo, e sim algo novo baseado na renovação e na revelação da palavra de Deus. Querido irmão, este texto não se refere a uma tempestade, ou um barco, ou uma cidade. O texto definitivamente é uma mensagem dirigida a todos nós filhos do altíssimo. Compreenda melhor isto: Um vaso para ser formado necessita de dois ingredientes: Barro e água. Uma linda jarra de vidro, é composta de areia derretida, desta forma o seu ingrediente principal é (de forma simplificada) o barro. Um animal qualquer, ser vivo de segundo grau, possui 3 ingredientes em sua formação: Barro, água e ar (vento).  O homem porém é o único ser na face da terra onde os 4 elementos se encontram ativos fazendo parte da nossa estrutura carnal e espiritual. Nós somos fomos formados a partir do barro, pois é assim que aprendemos no livro de gênesis. Também sabemos que o corpo humano possui em sua composição cerca de 70% de água. Até aqui temos dois elementos. Onde está o vento (ar)? Deus soprou em nossas narinas para que pudéssemos respirar. Onde está o fogo? Em Gênesis 2.7 a palavra de Deus diz que o Senhor soprou nas narinas do homem o fôlego da vida, e ele então se tornou alma vivente. A tradução hebraica para alma diz: “vida ou criatura”, já no latim a tradução aperfeiçoada diz “aquele que anima”.  Isto só aconteceu por um acréscimo existente em todo homem: O Espírito Santo de Deus, e o espírito Santo é o fogo que mantém a nossa chama de vida acesa. Somos então os únicos seres na face da terra a possuir os 4 elementos vivos dentro de nós!
Note a sutileza da palavra de Deus. Jesus sai entra no barco, e a sua mensagem havia sido pregada. Nas sandálias de Jesus e dos seus discípulos está o barro, contido no lugar de sua pregação. A tempestade leva a água que se mistura ao barro, o vento que se mistura aos outros e fogo na forma dos relâmpagos representando a alma que aponta para os sentimentos (os relâmpagos podiam ser vistos e os trovões ouvidos e sentidos), e a presença de Jesus no barco o fogo do Espírito Santo de Deus. Amado definitivamente este texto nos faz voltar aos primórdios da nossa criação e refletir a respeito dos nossos sentimentos, da nossa formação e da nossa fé. Nesta passagem Deus que sabia todas as coisas, inclusive da tempestade, não estava colocando os seus discípulos em perigo e sim moldando-os conforme o seu entendimento para eles superarem as dificuldades futuras e as presentes.
Todos nós passamos por dificuldades, épocas difíceis, momentos de tempestades onde as situações parecem estar incontroláveis. Agur faz uma explanação em seu texto: “Qual é o seu nome e qual é o nome do seu filho? Se é que o sabes!”. Em em Lucas 8 onde acabamos de ler os discípulos de Jesus, seus mais chegados aprendizes, dizem algo no mínimo estranho: "Quem é este que até aos ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem? ".
Estes dois textos distantes 900 anos um do outro, apesar de serem duas perguntas, de fato, complementam-se entre eles, como se um fosse a pergunta e o outro a resposta. Agur está apontando para uma dificuldade que haveria de vir sobre as pessoas: A dificuldade de reconhecer a Deus em toda e qualquer situação (Leia todo o texto quanto tiver oportunidade). Na sequência, separada pelos séculos, acompanhamos os próprios discípulos perguntando: “Quem é este”. Isto mostra que nem mesmo eles tinham plena consciência do grandioso poder de Deus. Eles já haviam visto Jesus fazer vários milagres, curando pessoas e até ressuscitando. Já tinham presenciado por muitas vezes o poder e a sabedoria de Deus em várias áreas diferentes, porém até então tudo havia acontecido em um ambiente razoavelmente controlado. O fato é que nossas vidas não estão inseridas em um ambiente razoavelmente controlado. Todos nós estamos sujeitos a chuvas, trovoadas e porque não dizer: Tempestades! E é neste momento onde o Senhor nos prova. Será que nós realmente sabemos quem é este Deus que nos acompanha. Deixe-me perguntar melhor: Será que nós sabemos quem é este Deus que nos acompanha nas tempestades?

Tempestades: O vento, 
a água e a extremidades da terra
As perguntas feitas por Agur envolvem 3 fatores: Vento, águas e extremidades da terra. Aqui estão representados os 3 fatores pelos quais todos nós passamos ao enfrentar uma tempestade em nossas vidas. (Vento) O bíblia nos fala a respeito do vento em muitas passagens: Um vento muito forte se abateu sobre a casa onde estavam os filhos de Jó, derrubando-a. Um vento muito forte dividiu o mar vermelho para passarem os hebreus salvos pelo Senhor, em Atos 2.2 o som de um vento muito forte encheu toda a casa onde estavam assentados os discípulos. Enfim, vento representa poder ou força. A questão é que este poder tem duas vertentes, uma boa e outra má. O vento de Deus é salvação, o vento de satanás é destruição. O vento de satanás levou morte à casa de Jó. Já em Atos 2.2 é o vento de Deus que sopra sobre os discípulos batizando-os com o Espírito Santo. Compreendemos então que todos estamos sujeitos a ventos bons e maus. Ventos capazes de nos trazer felicidade e outros capazes de nos trazer tristezas e para enfrentar tempestades você precisa saber enfrentar os maus, e aproveitar os bons. (Água) Numa tempestade as águas representam o maior perigo. Biblicamente falando águas trazem o desconhecido. A primeira vez que se viu uma destruição em massa na face da terra não foi com fogo, foi com água. Numa tempestade as águas do mar são revolvidas e surgem coisas estranhas na margem dos rios. No mar ondas se levantam contra os barcos atingindo-os e destruindo-os. Em algumas passagens bíblicas vemos a água relatada como símbolo de medo e sofrimento. O Salmo 42 apresenta o sofrimento na vida de uma pessoa como águas turbulentas: “Esmorece a minha alma... ao fragor de vossas cataratas”. Também no Salmo 69 lemos; “Subiram-me as águas até o pescoço”. Neste sentido nós precisamos estar preparados para as águas revoltosas que se abatem sobre nós. Numa tempestade, saber enfrentar as águas é essencial para sobreviver. (Extremidades da terra) Por último Agur fala sobre as “extremidades da terra”. O mundo conhecido na era bíblica era menor do que o mundo conhecido nos dias de hoje. Basicamente envolviam a Europa, a Etiópia e a Ásia. As Américas estão implícitas na palavra de Deus. As extremidades representam os limites impostos sobre as nossas vidas. Nós não somos capazes de saber com precisão quais os nossos limites em uma tempestade, nem a maneira como vamos reagir. Ter a consciência do poder de Deus sobre os nossos limites é essencial para vencer as tempestades que se levantam contra nós.

Onde está você em Lucas 8
Neste texto a nossa vida está representada pelo barco. Há duas formas de viver a vida, conduzindo-a, ou se deixando ser conduzida por ela. Há duas formas de andar no barco, conduzindo-o ou deixando-se conduzir por ele. Há também duas formas de passar pelas dificuldades: Podemos vencê-la ou simplesmente nos render diante delas. Esta mensagem vai confrontá-lo! Como você tem vivido? “deixa a vida me levar... vida leva eu...”? Sendo vencido pelos seus problemas, deixando as ondas abaterem o seu barco? A palavra de Deus diz que “certo dia Jesus disse aos seus discípulos: Vamos para o outro lado do lago”.
Certo dia” é um dia incerto cuja data não pode ser definida com absoluta certeza. Deus não traz incertezas pois Ele é absoluto. Quando ele diz: Certo dia, não está se referindo a um dia incerto e sim nos mostrando que este dia é agora! Agora é a hora, é chegado o momento de você dar um passo certeiro em direção ao sucesso nas suas empreitadas. É hora de atravessar para o outro lado! Depois de um dia inteiro de pregação Jesus diz aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado”, os discípulos olham para Jesus, entram no barco, confiando no poder de Messias. Ele porém, olha para um lado, olha para o outro e simplesmente... Dorme! Jesus estava falando sem palavras aos seus discípulos o que ele diz para nós todos os dias até hoje: É hora de tomar uma atitude e assumir o controle da sua vida. Você tem poder, você tem capacidade para vencer as dificuldades levantadas contra a sua vida. Isto é fato, chega de tomar carona nas costas de Jesus. Hoje você irá aprender como tornar isto realidade em sua vida. Você realmente pode ser muito mais eficaz nas suas empreitadas e vencer todo tipo de turbulência. Se não fosse assim não existiria João 14 que diz: Não se turbe o vosso coração, credes em Deus e também em mim”. Esta tempestade não poderá abalar a sua vida. Creia no filho e também no Pai, pois Ele está conosco!

Tempestades são 
fenômenos naturais
Eu e você sabemos que tempestades ocorrem por motivos absolutamente naturais. Alguns fatores definem uma tempestade e podemos aprender com eles. (Primeiro) Em geral tempestades acontecem em épocas determinadas do ano, mas também podem acontecer fora de época, sendo assim, não devemos nos espantar se uma tempestade chegar de repente. (Segundo) Existem locais muito mais propensos a receber tempestades. Onde está o seu barco? Talvez você esteja se aproximando de um local muito propenso a tempestades e eu garanto que deve haver um aviso enorme chamado ESPÍRITO SANTO falando com você: LOCAL SUJEITO A TEMPESTADES (E TERREMOTOS TALVEZ). Então saia daí! Se Deus está avisando é porque o seu barco não vai suportar. Ouça a voz de Deus.

Na tempestade não mude 
o rumo da sua vida!
Só Jesus tem autoridade de mudar o rumo da sua vida. Você precisa acreditar nisto todo o tempo para poder enfrentar as tempestades. Este é um erro comum na vida dos cristãos de pouca fé. Qualquer dificuldade qualquer vento contrário e já estão mudando tudo: Mudam de emprego, mudam de escola, mudam de igreja, mudam até de casamento! Se você deseja colher frutos não tenha medo de seguir o caminho estipulado por Deus. Ele disse “Vamos para o outro lado”. Para que lado você vai? Vai pelo balanço das ondas ou vai remar com fé em direção ao plano de Deus na sua vida?  Uma das grandes dificuldades do Cristão é a falta de vontade de remar. Há muitos cristãos que ficam esperando uma onda especial que vai levá-los até a margem em segurança, mas no final quando a onda chega toma o barco de assalto e leva para as rebentações onde ao invés de salvação encontra-se mesmo é a destruição. Reme sem dó! Remar é um dos melhores exercícios para o corpo, e espiritualmente para a tua alma. Em Lucas 5.4 o Messias diz a Simão: “Vai-te mais ao longe e lançai as vossas redes. Diz a palavra de Deus que pescaram grande quantidade de peixes. No meio desta tempestade, reme mais um pouco! Vá mais longe e você vai obter mais sucesso do que imagina! Em João 21.6 o Messias diz mais ainda: Lançai as redes à direita do barco...”.  Direita é sentido horário, esquerda é anti-horário. Toda vez que a bíblia diz direita ela profetiza benção. A bíblia diz que o Senhor está sentado à direita do Pai (Hebreus 12.2). Com a mão direita o profeta abençoava o seu discípulo, e também com a mão direita ele profetizava (A mão direta ficava mais alta do que a esquerda). Na consagração do sacerdote colocava-se o sangue na orelha direita, no dedo polegar da mão direita. Quando Jesus foi crucificado havia dois malfeitores, um à direita e outro à esquerda. Dimas está à direita, Gestas à esquerda. Gestas blasfema e Dimas, o da direita, defende o Senhor Jesus, e recebe a benção do Senhor  e ganhou passagem só de IDA para o paraíso! Vá para onde Deus mandar, siga as instruções e não haverá tempestade capaz de minar os seus objetivos!

   O barco até pode balançar, 
mas você não vai parar!
Jesus pregava na Galiléia e havia uma missão a ser cumprida nas terras de Gadara. Não seria uma tempestade capaz de impedí-lo. Jesus está de um lado do lago de Genesaré, ou Mar da Galiléia, para atravessá-lo em direção à Gadara era necessário seguir em linha reta de uma margem para outra. Isto significa uma linha perpendicular em relação à correnteza. O que temos então? Ondas batiam de través (de lado) no barco fazendo-o balançar  da direita para a esquerda. Quem conhece um pouco sobre barcos sabe que uma onda de través é perigosíssima. Pode facilmente virar uma embarcação. A atitude mais rápida a ser tomada é mudar a direção, mas nós contamos com um Deus maior do que qualquer tempestade e o contexto bíblico nos diz o contrário. Não podemos desviar, não podemos mudar a direção. É preciso seguir em frente! Veja: Provérbios 4.27 – Não te desvies nem para a direita e nem para a esquerda... retira o teu pé do mal. Josué 1.7 – Tão somente seja forte e corajoso, não se desvie nem para a direita e nem para a esquerda para que seja bem sucedido.  O seu barco pode balançar, a tempestade pode vir, mas você não vai se desviar. Você será bem sucedido na sua batalha e no final vai receber a coroa da glória sobre você e sua família!

Jesus está com você 
nesta tempestade!
Muitas pessoas acham que estando com Jesus não irão enfrentar tempestades. Este texto porém nos mostra o contrário. Jesus estava no barco, ele só não estava acordado! Por que? Deus usa a tempestade para ver em qual nível de fé você está. Deus também permite a tempestade para estimular a pequena fé que há em você, transformando-a em uma grande fé. A fé de Pedro era tão pequena que ao andar sobre as águas, nem precisou de tempestade para ele afundar, bastou apenas olhar para a água. Neste caso o Senhor estava preparando os seus discípulos para presenciarem e fazerem grande milagres em seu nome e para isto eles precisavam ser aprovados! Deus só vai atuar nas causas onde Ele entender que a sua atuação é absolutamente necessária. Fora isto, relaxe e deixe o Senhor em paz, porque é você quem precisa trabalhar. Meu irmão! Jesus não vai remar o barco por você: Tome coragem e reme! Jesus não vai guiar o barco por você: Tome coragem e siga em frente! Jesus está no barco e a sua presença é mais do que suficiente para ajuda-lo a vencer suas batalhas! Creia nisto e você mesmo vai colher grandes vitórias na sua vida!

Você é responsável 
pelas consequências.
Muito se diz a respeito do Diabo e a sua culpa nas tempestades da nossa vida. Mas eu quero confrontá-lo ao dizer que ele nem sempre tem culpa. Na maioria das veze nós mesmos cavamos o buraco para nos enterrar. Tempestades tem várias origens e você precisa ter consciência sobre isto: (primeiro) Muitas pessoas estão passando tempestades por incompetência. Você está amargando um trabalho difícil porque não estudou o suficiente. Seu carro está um caco porque você nunca cuidou dele. Seu filho está “terrível” porque você não vigiou o suficiente. Seu grande amigo não é seu amigo(a) porque você não prestou atenção nas suas palavras.  (Segundo) Outras vezes passamos por tempestades porque não usamos a sabedoria dada por Deus. Talvez você esteja com problemas no SPC porque emprestou o seu nome para alguém. A bíblia diz: A ninguém tomeis por fiador. Outras vezes ficamos desesperados com as contas a pagar, mas nos esquecemos de não gastar mais do que ganhamos e caímos no famigerado cheque especial. Outras vezes passamos grandes apuros por tocar projetos e idéias para os quais não estávamos preparados (foi para a esquerda e não para a direita ou enfrente conforme a voz de Deus) e agora estamos pagando o preço.  (Terceiro) Tempestades acontecem também pela permissão de Deus. As vezes problemas acontecem porque há um projeto de Deus neles sobre a nossa vida, quer seja de aprendizado, correção ou evolução espiritual. Veja! Pedro precisou afundar para ter mais fé. Sansão precisou ficar cego para compreender melhor as coisas de Deus e você? O que será que Deus poderia estar fazendo para aprimorá-lo?

Reconheça em qual 
tipo de tempestade você está
Os apóstolos Mateus, Marcos e Lucas nos dão uma dimensão da tempestade. Marcos 4.37 nos informa que um forte vendaval se levantou, e as ondas se lançavam sobre o barco, de forma que este foi se enchendo de água. Neste texto Marcos chama o vendaval de forte, em outras traduções encontramos “poderoso”. Isto mostra que o vendaval se levantou com uma força incomum. Muitas vezes somos tomados por tempestades (batalhas espirituais) que se levantam contra nós com grande força! Ventos fortes geram ondas gigantes fazendo o barco subir e descer em espaços curtos de tempo. Isto também acontece numa tempestade espiritual. Estando por cima ou por baixo a condição é a mesma: Tempestade! Ou seja, com muito dinheiro não somos felizes, com pouco dinheiro também não, com muita saúde continuamos doentes espirituais, com pouca saúde a mesma coisa e tudo isto acontece em curtos espaços de tempo, de uma forma tão dinâmica que por vezes não temos tempo sequer de reagir.  O texto também diz que “o barco foi se enchendo de água”. Isto mostra o esforço inútil dos discípulos em tirar a água do barco. Quanto mais eles jogavam água para fora mais água entrava no barco. Você já sentiu assim. Quanto mais tranqueira você tira da sua vida mais tranqueira aparece. Quanto mais você tenta esvaziar o coração de alguns sentimentos ruins, mais eles aparecem.

Às vezes é preciso 
reconhecer a nossa fraqueza
Nós, por vezes, insistimos em lutar contra as tempestades e isto é muito bom. Realmente é preciso enfrenta-las, pois senão vamos ficar à deriva no meio do mar. A dificuldade é que nem sempre nós reconhecemos a necessidade de pedir ajuda. Em Lucas 8.23 os discípulos notaram o “grande perigo” no qual estavam envolvidos. Deus nos permite atingir determinados limites psicológicos, espirituais e físicos para poder atuar em nós. O poder de Deus não atua na força e sim na fraqueza. Paulo disse na 2ª. Carta aos Corintios 12.9 – “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois me gloriarei, nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Reconhecer as nossas fraquezas significa reconhecer a nossa incapacidade de remar sozinhos. Talvez a sua força seja suficiente para utilizar um dos remos do barco, mas não os dois ao mesmo tempo.

É hora de acordar o mestre
Todos nós sentimos medo em alguma época da nossa vida. Há medo de todos os tipos e estamos sujeitos a eles por motivos diversos. Algumas pessoas tem medos estranhos por causa de traumas em sua infância, outros por cargas de hereditariedade espiritual, porém o medo pode ser vencido e nós cristãos temos grande facilidade em vencê-lo quando acreditamos em Jesus. Em termos simples medo é uma espécie de “fé negativa” onde deixamos de acreditar no poder de Deus. Ao ter medo somos confrontados com os nossos maiores pesadelos e perdemos a força para continuar remando. Exemplo: Algumas pessoas jamais se casam pelo medo de fracassar, outras não tem filhos por terem medo de não conseguir cria-los, outros não dão andamento aos seus ministérios por terem medo de não vencerem as dificuldades, e outros jamais conseguem se realizar profissionalmente por terem medo de avançar em direção ao sucesso nas suas carreiras. Desta forma compreendemos que o medo é um bloqueio capaz de nos impedir de vencer nossos limites. Deus não trabalha com pessoas limitadas, Ele sempre espera que você se supere em tudo. Uma pessoa medrosa jamais vai tentar fazer novamente algo que não tenha dado certo em sua vida, como também nunca vai aceitar novas empreitadas.
Deus também utiliza o medo de forma positiva em nossas vidas. Vamos ver isto no versículo 24 de Lucas 8. O texto nos mostra que ao perceberem a possibilidade de sucumbirem em meio a tempestade eles resolveram “acordar o mestre”.  Esta atitude a princípio parece única, mas ela envolve uma série de atitudes onde todos nós podemos aprender. Vejamos a cena: Uma grande tempestade, ventos fortes, ondas grandes, um barco à deriva, prestes a afundar. Como fazer para acordar o mestre dormindo no barco.

Primeiro – Ficar de pé no barco.
Diferente de estar de pé em terra firme, ficar de pé no barco exigiu muito equilíbrio dos discípulos de Jesus. Em meio a uma situação de medo o equilíbrio que é igual a autocontrole é essencial para a sua sobrevivência. Não se desespere em meio a esta tempestade. Jesus está com você. Ele sabe o seu potencial para se levantar e caminhar até ele. Sentado no barco, você está imóvel em relação à sua tempestade. Isto significa ficar na dependência do barco e não no controle dele. Assuma o controle da sua vida, tenha equilíbrio e vá em frente. Quando os soldados disseram este Gigante é muito grande! Não poderemos enfrenta-lo eles estavam à mercê da situação. Davi teve equilíbrio, avaliou levantou-se em relação aos outros e viu a situação de outra forma: “Ele é tão grande que vai ser difícil eu não acertar a sua testa!”.

Segundo – Eles tiveram coragem.
Os discípulos precisaram de muita coragem para ir até Jesus e acordá-lo. Para saírem do lugar e irem até ele havia um grande risco de caírem nas águas e serem levados por elas. Veja como Jesus ensina até dormindo. Hebreus 10.38 diz – “O justo viverá pela fé, e se ele recuar a minha alma não terá prazer nele”. O barco onde estavam os discípulos não era pequeno. Comportava os discípulos, o messias e ainda transportava pertences. Marcos nos dá uma pista ao dizer no capítulo 4 que “outros barquinhos o acompanhavam”. Isto tudo nos mostra alguns passos difíceis de serem dados pelos discípulos movidos apenas por um sentimento: Coragem! Tenha coragem. Jesus pode estar em silêncio, mas está com você e confia na sua capacidade. Se Jesus confia, quem somos nós para desconfiar?

Terceiro – Reconhecer 
a autoridade de Deus na tempestade.
Os discípulos gritaram duas vezes: Raboni, Raboni, ou seja Mestre, Mestre. Ao falarem isto, eles estavam admitindo que mesmo dormindo Jesus estava no controle da situação. Jesus está no controle da sua vida. Nos momentos de tempestade nós precisamos reconhecer a autoridade de Deus e não rejeitá-lo. Há uma tendência por parte dos homens de se afastarem ou murmurarem contra Deus em determinados momentos de Crise. Jesus, no entanto, espera ver a sua autoridade reconhecida na felicidade, na bonança, na fraqueza, na dificuldade, enfim, em toda.

Quarto – Admitir a sua fraqueza
Ao se depararem com Jesus acordado, mas ainda deitado junto a proa do barco, eles disseram: Mestre! Vamos morrer. Em outras palavra os discípulos estavam dizendo. Mestre! Se o Senhor não nos ajudar não conseguiremos sair desta tempestade. Pessoas experientes com Deus sofrem pela timidez. A timidez é uma forma de medo capaz de impedir a fala e a ação. É necessário reconhecer as nossas fraquezas e para isto não pode haver timidez. O livro de Apocalipse 21.8 nos dá uma mensagem séria quanto a timidez veja: “Mas quanto aos tímidos, e aos incrédulos e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos feiticeiros e aos fornicadores, os idólatras, e aos mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte”. Não seja tímido, abra a sua boca, e chame pelo mestre. Ele vai atender o seu chamado.

Quando Jesus acorda!
Cerca de 900 anos antes desta passagem Agur fez a pergunta: Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? – Jesus já estava entre os discípulos mas esta pergunta ainda não havia sido respondida. Agora, depois de tomarem uma posição de fé, assumirem o controle e deixarem a timidez de lado o Messias iria então mostrar o seu poder. Se você tomar esta atitude e der todos estes passos, tal e qual foi com os discípulos no barco será com você em sua vida. A primeira atitude de Jesus: Ele se levantou! Jesus vai se levantar na sua vida e quando Jesus levanta o Diabo cai! Quando Jesus se levanta o inimigo vai embora. Clame por Jesus e ele vai se levantar como a principal fonte de poder na sua vida! Segundo os ventos foram repreendidos. Como já dissemos, ventos representam força e poder. Neste caso Jesus como poder máximo repreendeu os poderes do mal sobre a vida dos discípulos. A mão da justiça do Senhor cerraram os ventos contrários na vida dos discípulos. Veja Jesus respondendo as perguntas de Agur. Deus vai repreender todo vento contrário na sua vida. De hoje por diante o desejo do Senhor é uma brisa suave na sua casa, no seu casamento e no seu trabalho! Terceiro: Deus repreendeu as águas. As águas representam o medo das coisas desconhecidas. Quando Deus se levantar na sua vida, todas as forças desconhecidas levantadas contra você irão cair por terra. Você vai receber autoridade para enfrentar o medo. Receba autoridade para enfrentar o medo e o desconhecido em nome de Jesus. Com isto chegamos a mais uma resposta às perguntas de Agur: “Quem estabeleceu as extremidades da terra?”. Logo depois de repreender os ventos e ás aguas abriu-se caminho tranquilo para atravessar o mar da Galileia. Com tranquilidade é mais fácil “vencer os limites”. Você vai ultrapassar os seus limites, porque o Deus que estabeleceu os limites entre as extremidades da terra está no barco. Pode vir o vale...você vai ser vencedor! Pode vir montanha, você vai ser vencedor! Podem vir as ondas do mar porque hoje você vai nadar no sobe e desce da sua vida. Deus vai te ajudar a furar toda e qualquer onda que se levante contra você!

Você vai ser impactado 
pelo Deus que já conhece!
Os discípulos ouvem uma pergunta intrigante do Mestre: Onde está a vossa fé, homens de pouca fé! Amados Jesus não está apenas chamando a atenção dos discípulos. Na realidade ele está dizendo: Vocês acham que Eu sou apenas capaz de fazer isto? É porque vocês não conhecem provérbios 30 e nem o profeta Agur, Eu sou aquele sobe e desce aos céus quando quero. Eu falo direto com o pai e tempestades são coisas pequenas para mim. Acho que vocês não sabem o meu nome. Agur perguntou qual é o nome do filho? Se é que o sabes. Pois agora eu vou dizer: Eu sou aquele que esteve morto, mas reviveu ao terceiro dia! Eu sou aquele que tem as chaves da morte e do inferno, Eu sou o alfa o ômega, eu sou o princípio e o fim de todas as coisas, Eu sou o conhecido como cordeiro, porque mudou vou para o sacrifício, mas eu também sou o Leão da Tribo de Judá que abre a boca e numa só bocada consoumo o poder do inimigo. Irmão, você que chegou até aqui receba este entendimento: Não era Jesus quem estava dormindo no barco. Eram os discípulos, não era Jesus quem estava quieto na nossa vida,  nós é que estamos em silêncio. 

Abra a sua boca, 
tome coragem, e glorifique 
o nome do Senhor!

Sempre quando temos a oportunidade de ver e sentir o poder de Deus nós fazemos as perguntas de Agur. Quem é este que encerrou os ventos nos seus punhos, quem é este que amarra as águas na sua roupa. Veja os discípulos ao verem o poder de Deus manifestado no barco: Quem é este que até aos ventos e ás aguas dá ordens, e eles obedecem?  Se você sabe quem é, atravesse com jesus o lago de Genesaré e veja o poder de Deus também na terra. 

pr. altamir de souza
Na Visão de Multidões!
Shalom Aleichem, Aleichem Shalom
A paz seja convosco, convosco esteja a paz

Todos os nossos textos são liberados para estudos, pregações em pequenos grupos ou igrejas. A publicação dos textos entretanto só deverá ser feita mediante a autorização por escrito do autor.