quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Festa ou velório, qual a sua escolha?




Provérbios 1.24-27Mas, porque clamei, e vós recusastes, porque estendi a mão, e não houve quem desse atenção; 25 antes rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão; 26 também eu me rirei no dia da vossa desventura, e zombarei vindo o vosso temor. 27 Vindo como tempestade o vosso temor, e vindo a vossa perdição como tormenta, sobrevindo-vos aperto e angústia.

Acredito que você já deva ter tido a oportunidade de fazer uma lista de convidados para uma festa, quer seja de aniversário, casamento, formatura ou outra qualquer. Como em qualquer comemoração neste sentido acontece sempre da mesma forma: Algumas pessoas as quais tínhamos a certeza de estarem presentes não apareceram e outras as quais não convidamos deram as caras. O sentimento também é semelhante para todos, é triste perceber que alguns grandes amigos simplesmente não deram importância ao nosso convite e preferiram outros compromissos no lugar de estar com você. Esta mesma tristeza acontece no coração de Deus ao perceber a recusa de algumas pessoas de aceitarem o seu convite para participarem da sua festa. Aliás é exatamente desta forma que Ele deseja recebê-lo, com muita festa! Lucas 15.7 assim escreve: “Digo-vos que do mesmo jeito haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mas do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”.
 Há duas ocasiões onde amigos ou parentes distantes se encontram: A primei­ra são as festas. Quantos de nós não já tivemos a oportunidade de rever um parente ou amigo de longa data o qual não víamos há muito tempo em uma festa de casamento, por exemplo? A segunda ocasião são os velórios! Quem teve a oportunidade de ir a um velório certamente presenciou a mesma cena: Reencontros de pessoas que não se viam há muitos anos. Agora vamos colocar isto em termos práticos: O homem está afastado de Deus e há muito tempo não é verdade? O Senhor se distanciou do homem por causa do seu pecado e muitas pessoas sequer sabem da sua existência. Deus para algumas pessoas é uma lembrança distante ou ainda a personagem de um livro de histórias, tal e qual as histórias dos nossos “tataravôs” do quais na maioria das vezes não conhecemos nem o nome inteiro. Agora pense um pouco e responda. Como você quer encontrar com Deus? Numa festa ou num velório? Muito bem, as duas possibilidades estão abertas e você tem o direito de escolher a festa ou o velório. Tenho certeza que todos nós queremos o encontro na festa, mas é preciso ter atenção pois determinados caminhos podem levar à morte. É o que lemos em Provérbios 14.12 – Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz à morte. Preste atenção ao texto deste versículo onde diz “parece direito”. Isto mostra que muitas vezes nós temos a sensação de estar fazendo certo, mas na realidade estamos fazendo errado e a tal ponto de gerar condenação em nossas vidas. Agora vamos pensar um pouco mais ao responder uma pergunta: Você daria um tiro em alguém? (sim ou não), Você roubaria um banco? Você trairia sua esposa (ou esposo)? A resposta para estas perguntas é “Claro que não!”. Isto porque estas coisas são muito claras em termos de pecado e resultado do pecado. Porém existem os “pequenos detalhes”, ou pequenos fatos os quais são capazes de gerar a mesma condenação nos levando ao caminho do “velório”. O Senhor estendeu o seu convite a todos nós graças ao seu grande amor. Entendemos assim em Romanos 5.8 – “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo ainda pecadores”. Isto significa que o convite de Deus para nós é um convite aberto - “open-meeting” – a todos os que se colocarem na condição de convidados, independente das nossas dificuldades. Porém, conforme lemos em Provérbios 1.23 é preciso haver uma conversão verdadeira por intermédio da repreensão de Deus sobre nós. Esta repreensão não é um castigo e sim um direcionamento capaz de abrir muitas portas de autoridade – “derramarei sobre vós o meu espírito – e de conhecimento – “e vos farei saber minhas palavras”.  O Senhor está sempre nos convidando para atuar em nome do seu ministério. Ele derrama sobre nós dons especiais não para nos transformar em servidos, mas sim para que sejamos servos na festa. Você foi convidado para servir, mas lembre-se de que o Senhor nos deixou o serviço ao próximo como forma de evoluir espiritualmente. Veja Mateus 20.25-27 – “...bem sabeis que os governadores dos gentios os dominam e que os grandes exercem autoridade sobre eles. 26 Não será assim entre vós. Pelo contrário, todo aquele que, entre vós, quiser tornar-se grande, seja vosso servo, 27 e quem dentre vós quiser ser o primeiro, seja vosso escravo. Vamos pensar mais um pouco agora? Deus está sempre nos convidando para uma festa onde seremos honrados através do serviço. Sendo assim, em qual área você gostaria de responder o convite de Deus, melhor dizendo, qual é o seu ministério? O que você pode fazer por Deus? Feche seus olhos, ore a Deus e responda em voz alta para que todos possam ouvir.  A partir de agora uma grande festa vai acontecer e o poder de Deus vai descer sobre a sua vida para efetivar este convite especial sobre a sua vida.  Não tenha medo de aceitá-lo pois os versículos 26 e 27 de Provérbios 1 não são apenas para aqueles que desrespeitam o poder de Deus.


pr. altamir de souza
Na Visão de Multidões!
Shalom Aleichem, Aleichem Shalom
A paz seja convosco, convosco esteja a paz

Todos os nossos textos são liberados para estudos, pregações em pequenos grupos ou igrejas. A publicação dos textos entretanto só deverá ser feita mediante a autorização por escrito do autor.