sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Prefeitura autoriza “rolezinho” no Ibirapuera

        
       A prefeitura de São Paulo resolveu tornar oficial o movimento intitulado “rolezinho”, fruto de diversas críticas e constrangimentos junto à população acostumada a frequentar os shoppings da cidade. Conforme apurou “Palavra & Mensagem” o evento oficial acontecerá no próximo sábado no parque do Ibirapuera sob a tutela de Netinho de Paula, atualmente secretário municipal de Promoção e Igualdade Racial.
O movimento, que surgiu nos extremos da capital paulista, encabeçado por jovens famosos nas redes sociais e cantores do ritmo “funk ostentação” tornou-se um transtorno para empresários, lojistas e frequentadores dos shoppings de São Paulo, obrigando alguns destes centros de compra e convivência a fecharem as suas portas em plena época de final de ano, em virtude dos riscos inerentes de vandalismo e saques. Neste sentido alguns shopings entraram com recursos junto à justiça buscando impedir a realização dos “rolezinhos” em suas áreas comuns, como foi o caso do Shopping Center Aricanduva, onde por determinação do desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Rômolo Russo, manteve-se a “restrição de acesso às concentrações com grande número de jovens nas dependências do shopping”.
A iniciativa da prefeitura de São Paulo visa esvaziar as tentativas constantes dos organizadores dos “rolezinhos” de realizarem estes eventos em locais públicos sem, contanto, haver nenhuma preocupação com segurança e organização. Diversos testemunhos em shoppings e outros locais da cidade dão conta de acidentes, roubos e até mesmo atentados ao pudor em determinadas ocasiões, gerando um sentimento reverso na sociedade acostumada há mais de duas décadas a utilizar os shoppings como área de segurança e confiabilidade. Conforme as afirmações do pagodeiro, ex-candidato à prefeitura de São Paulo, Netinho de Paula, os organizadores dos “rolezinhos” formaram uma associação e querem trabalhar  como organizadores de evento.
Netinho de Paula, sec. mun. de promoção e igualdade social
No parque do Ibirapuera, onde acontecerá o “primeiro rolezinho  oficial de São Paulo, com data marcada para este sábado (15/02)  e expectativa de seis mil jovens, o sentimento dos frequentadores é de apreensão. “Não sabemos o que poderá acontecer neste final de semana. O Ibirapuera é o meu lugar de descanso de todos os finais de semana há 11 anos” – Disse Carla Fugini, moradora da região. De acordo com Netinho de Paula, a prefeitura, a Guarda Civil e Ministério público deverão estar presentes aos eventos para evitar transtornos, mas resta saber se realmente haverá estrutura para condicionar em padrões aceitáveis o comportamento dos esperados seis mil jovens, tomando por base outras concentrações na capital.

Opinião

O tal “Grito da Periferia”, encabeçado por semifamosos da internet, além de cantores do ritmo da moda “funk ostentação”, não pode representar a periferia. É  de se estranhar jovens que não estudam e não trabalham, “ostentarem” algo impossível de atingir sem estes dois fatores: Estudo e trabalho. Mais uma vez a prefeitura colabora com a alienação da juventude apoiando eventos capazes de aumentar a ignorância e diminuir a capacidade criativa de uma parcela da pobre da sociedade. Sim pobre! Pobre de educação de qualidade, pobre de saúde e pobre de dignidade. Enquanto a prefeitura leva 6 mil jovens, em sua maioria das periferias da cidade, ao parque do Ibirapuera para rebolarem ao som de músicas indecentes outros fatores importantes são deixados de lado como a melhoria da educação e da qualidade de vida. No próximo sábado um “rolezinho oficial” vai impedir milhares de pais e até mesmo jovens de frequentarem um espaço público, não por estarem impedidos legalmente, mas por abominarem este símbolo tosco de falta de cultura e moral despejado sobre a cabeça de uma parcela do povo que não se preocupa em ostentar carros, roupas, bebidas e sexo.
Pr. Altamir de Souza.