domingo, 30 de dezembro de 2012

AMANDO, DOA A QUEM DOER

LEITURA BÍBLICA
Lucas 10.25-37 - A parábola do bom samaritano. - Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus à prova e lhe perguntou: “Mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna?” 26 “O que está escrito na Lei?”, respondeu Jesus. “Como você a lê?” 26 Ele respondeu: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento e Ame o seu próximo como a si mesmo. 28 Disse Jesus: “Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá”. 28 Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo?” 30 Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. 31 Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado. 32 E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado. 33 Mas um samaritano, estando de viagem chegou onde se encontrava o homem  e, quando o viu, teve piedade dele. 34 Aproximou-se , enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. 35 No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e lhe disse: “Cuide dele. Quando eu voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver”. 36 “Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? 37 “Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: “Vá e faça o mesmo”.


Certa ocasião, ainda antes de entregar minha vida a Jesus, ainda trabalhando como repórter policial, deparei-me com um jovem de aproximadamente 16 anos, o qual havia sido baleado, provavelmente algumas horas antes. Naquele momento deixei um pouco de lado o profissionalismo jornalístico e resolvi ajudar aquele jovem. Neste mesmo tempo, um amigo fotógrafo me disse: “Você está dando uma de bom samaritano!”. Quem me dera saber naquela época, a respeito deste tal bom samaritano. Não passou pela minha mente a possibilidade de estar ouvindo uma parábola do senhor Jesus, contada a mais de 2.000 anos atrás.
Para nós cristãos esta é uma parábola muito conhecida. Falamos a respeito dela e a utilizamos em muitas pregações, estudos e utilizamos como exemplos em diversas situações. Particularmente acredito que a abrangência desta parábola esteja ligada aos seus significados tão abrangentes e importantes para nós.
Amado, tanto aquele mestre da lei como o sacerdote, o levita e o samaritano são retratos daquilo que nós também somos. O mestre da lei representa as pessoas que estudam e sabem o que Deus quer delas, mas ficam somente na teoria, não praticam o que aprenderam, contentam-se consigo mesmas e assim caem em contradição. O sacerdote é o líder religioso que se acha importante e acaba sendo vítima do seu orgulho. O levita, representa as pessoas para quem parece suficiente seguir formalidades religiosas, trabalhar na igreja de alguma forma, frequentá-la ou observar algumas regras, mas que se afastam de quem realmente precisa do seu amor. Já o samaritano é aquele que nos surpreende, prestando auxílio ao próximo. Todos nós temos momentos em que um ser humano ferido necessita de uma resposta às suas necessidades, e então precisamos deixar de ser mestres, sacerdotes ou levitas para transformar-nos em samaritanos – e não importa para quem seja – aliás, muitas vezes não será aquele que achamos mais simpático, os mais inteligente, o mais servil ou o mais avivado. O samaritano do qual falamos aqui surge de uma forma diferente das fontes normais estabelecidas no nosso padrão de raciocínio. Creio que pessoas dispostas a servir possuem um DNA diferente, raro e muito especial para Deus e são capazes de multiplicar e cobrir outras pessoas com o amor ágape, aquele semelhante ao amor de Deus.
Receber o amor de Deus e também amá-lo é vital para nós. Sem esse amor, nossas obras de caridade não terão valor, somente depois de estarmos prontos para exercer um amor semelhante ao amor de Deus, poderemos fazer das nossas obras assistenciais, obras visíveis ao Espírito Santo.
Quero convidar você a ser um samaritano. Esqueça um pouco os seus problemas, as suas dificuldades e pense um pouco no amor de Deus, aquele que possibilitou toda a estrutura de vida na qual estamos inseridos na atualidade. Abra seu coração e tente compreender o amor de Deus, expresso através de um outro homem, o samaritano, exatamente para nos provar a possibilidade de amar e faça isto. Deus está esperando a sua atitude! Pr. Altamir de Souza – Nele por Ele e para Ele.