domingo, 1 de dezembro de 2013

A Parábola do Filho Pródigo

De volta à casa do Pai
Mateus 7.6-8 - Não deem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês, o despedaçarão. 7 Peçam, e lhe será dado, busquem, e encontrarão, batam e a porta lhes será aberta. 8 Pois todo o que pede recebe, o que busca, encontra , e aquele que bate, a porta lhe será aberta. 9 Qual de vocês, se o seu filho lhe pedir pão lhe dará uma pedra.

****************************************
Esboço da mensagem pregada domingo, 01/12/2013  no ministério IMUEG - Igreja Misionária Unida de Engenheiro Goulart - SP
**************************************

       Amados irmãos em Cristo Jesus, qual de nós não já viveu uma situação onde nos sentimos profundamente arrependidos por algo que fizemos ou falamos. Conforme nos diz o dito popular – “Há palavras que doem mais do que tapas”. Ao longo da vida nossas atitudes geram resultados positivos e negativos e o saldo desta conta vai ser responsável pela forma como viveremos a eternidade. Como está o seu saldo? Como Deus tem avaliado a sua vida diante das situações que se apresentam no seu cotidiano? Esta pregação irá confrontar você com algumas situações importantes da sua vida e no final lhe fará um convite. Se você aceitar, grandes portas de bênçãos se abrirão para você e para a sua família.
       Como sabemos, a bíblia é um conjunto de livros escritos em lugares, épocas e línguas diferentes. Cada um dos livros canônicos possui características únicas com mensagens e finalidades específicas para determinadas situações da vida do homem. A bíblia também possui muitas mensagens diretas e indiretas, estas últimas, na forma de códigos que se relacionam um com o outro de forma absolutamente perfeita. O texto que lemos na voz do evangelista Mateus, encontra-se diretamente ligado com um outro texto extremamente conhecido da palavra de Deus, somente relatado no capítulo 15 do evangelho de Lucas. A ligação destes dois textos traz grandes revelações para todas as pessoas cujas palavras, decisões e atitudes se tornaram lanças espetadas nos seus corações ao longo dos anos.  Estas setas depreciam a imagem que fazemos a respeito de nós mesmo, nos desvalorizando e trazendo sofrimento e desconforto.
       Em geral, não temos noção do nosso valor. Quando não valorizamos a nós mesmos, também não conseguimos valorizar os outros ao nosso redor. O texto inicial nos disse – “Não deem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos”. Queridos, abaixo do Pai, do Filho e do Espírito Santo, absolutamente nada é mais sagrado do que você. Nós somos a obra prima de Deus, a criação máxima, a pérola de grande valor de Mateus, capítulo 13. Você foi criado pelas mãos do Oleiro, você foi transformado de acordo com a imagem e semelhança de Deus. Você foi criado para demonstrar ao universo a capacidade supremo do Deus Pai. Ao Universo! Isto porquê, de qualquer lugar do universo de onde se possa avistar a terra, é possível contemplar a beleza da criação do homem e da mulher. Até mesmo os anjos, ao olharem para você espantam-se pela suas qualidades. Você foi desenvolvido com capacidades  múltiplas, um anjo é desenvolvido com capacidades únicas; querubim, serafim, arcanjo, cada um desses, por mais poderoso que seja, só pode exercer uma função, mas você pode ser médico e advogado, pedreiro e encanador, pai e filho. Você já viu anjo filho, ou anjo pai? Você pode ser pastor e levita, profeta ou mestre, quem sabe todas estas coisas de uma vez. É por isto que quando os anjos olham para você a primeira coisa que eles pensam é: “Incrível como são parecidos com o PAI”. Você tem valor! Você é especial, Você faz parte da criação divina do Espírito Santo para glorificar o poder de Deus.
       Talvez você entenda tudo isto como algo fantasioso, porém o problema do homem reside exatamente no fato de não enxergarmos a grandeza desta criação de Deus. Quando isto acontece nós depreciamos a nossa imagem e a imagem daqueles próximos a nós. É neste momento onde surgem as palavras duras, as atitudes transloucadas gerando destruição na vida das famílias e o consequente sofrimento. Veja se não é que lemos na continuação deste texto – “Não deem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês, o despedaçarão”. Quantas pessoas já vimos despedaçadas por causa de palavras e atitudes?

Estas coisas acontecem por alguns fatores.

PRIMEIRO expectativas mal concebidas. Ao longo da nossa vida, nós estabelecemos planos e projetos mal concebidos. Os planos de um cristão devem primeiro passar pelo Crivo de Deus. Quando isto não acontece trata-se de um desejo humano, com uma concepção evidentemente fora dos planos do Senhor para a sua vida. Expectativas além da conta, expectativas mal concebidas, e consequentes expectativas frustradas geram atitudes e palavras de destruição na vida do cristão.
SEGUNDO – Desejo desenfreado. O Desejo é uma chama acesa no seu coração. Esta chama pode ter dois tipos de fogo, o santo e o profano. O Desejo desenfreado por, bens materiais, sexo e poder fazem do homem uma máquina destruidora capaz, muitas vezes, de matar para realizar o seu desejo. A palavra de Deus, nos fala a respeito de Davi, que olhando para uma bela mulher, chamada Beth-Sehbat, a desejou. A chama profana no coração de Davi, o fez tramar contra a vida de Urias, o esposo de Beth-Sehbat. Quantos pais já vimos sofrer pelo coração transloucado dos seus filhos, discutindo até antes da morte dos seus pais a respeito das suas posses e heranças?
TERCEIRO – Distância da presença de Deus. Uma pessoa distante de Deus fica sujeita à carne e as suas concupiscências. Ao longo do tempo a contaminação pelos espíritos intercessores do maligno ficam tão poderosas na vida de alguém afastado de Deus que se torna impossível livrar-se posteriormente sem um processo doloroso de tratamento.

Talvez a esta altura você esteja pensando: Se somos tudo isto porque então sofremos? Porque passamos por momentos difíceis? Porque as coisas não acontecem como nós imaginamos? Porque saem de nós palavras e atitudes tão contrárias a esta realidade na palavra de Deus onde somos tão valorosos para Ele?

Se uma destas dúvidas já se passou pela sua mente, fique tranquilo! Na realidade elas estão ecoando a milhares de anos, e de certa forma foram respondidas nas palavras do próprio Messias em uma das suas parábolas: A PARÁBOLA DO FILHO PRÓDIGO, encontrada nas palavras do evangelho de Lucas, capítulo 15. Uma das mais conhecidas parábolas de Jesus. Um texto maravilhoso com revelações tremendas capazes de edificar a vida do Cristão desejoso de receber a autoridade e a misericórdia do Espírito Santo de Deus. Esta história faz parte de uma série de três parábolas pregadas pelo Messias aos fariseus que o acusavam de comer com pecadores, e tomar atitudes consideradas por eles, contrárias à Lei Mosaica. De fato a Parábola da Ovelha Perdida, da Dracma Perdida e do Filho Pródigo, representam as principais figuras da fé cristã. Na ovelha perdida encontramos o pastor que é Jesus, na Dracma temos a mulher que é a Igreja e finalmente, quando chegamos ao filho pródigo, encontramos o Espírito Santo representado pelo arrependimento do filho e finalmente Deus, o Pai, reunindo todos os outros. Desta forma compreendemos o sincronismo e a concatenação entre as três parábolas aplicadas de forma totalmente organizada nos textos bíblicos. Nesta parábola, muito conhecida, encontramos três personagens aparentes e outros ocultos com os quais aprenderemos. O primeiro personagem é o Patriarca que possua dois filhos. Logo após temos o segundo personagem, o filho mais novo, que movido pelas suas paixões humanas, resolveu pedir ao pai a sua herança ainda em vida. Após ter recebido sua herança uma série de acontecimentos caem sobre a sua vida trazendo-lhe sofrimento e reflexões. O nosso terceiro personagem é o filho mais velho. Este ficou junto ao seu pai, mas isto não lhe garantiu um bom conceito diante dele. Vejamos o que diz uma parte deste texto:

LUCAS, CAPÍTULO 15, versículos 17 a 19
Caindo em si, ele disse: Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui morrendo de fome! 18 Eu me porei a caminho e voltarei para o meu pai e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. 19 Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.

A PARÁBOLA DO FILHO PRÓDIGO
Ao avaliar o contexto desta parábola percebemos o porquê dela ser uma das mais conhecidas em toda a história bíblica. Este texto abrange praticamente todos os aspectos da humanidade. Nesta parábola encontramos um conflito familiar, um conflito de tradições, um conflito religioso, perpetuado até os dias de hoje na vida de milhares de pessoas cristãs ou não. Mais uma vez a palavra de Deus se mostra atual através desta passagem, revelando assuntos de extrema competência para o nosso dia-a-dia. Para compreender O Filho Pródigo mediante a nossa proposta constante de ir além do óbvio, é necessário conhecer não só o texto mas contexto da parábola, assim como o cenário social e religioso da época. Apenas desta forma é possível ter os olhos abertos de forma ampla no espectro espiritual e enxergar todas as realidades dos fatos mediante esta passagem.
       Esta parábola tem uma palavra em destaque: Herança. Quando buscamos o seu significado junto ao entendimento vulgar do latim de onde provém a nossa língua, e por consequência o nosso entendimento, compreendemos que herança (haerantia) é o conjunto de bens, direitos e obrigações, que na morte de alguém é transmitido aos seus respectivos herdeiros ou legatários. A mesma palavra também se aplica à transmissão das características genéticas transmitidas aos próximos na sequência familiar. Herança também pode ser entendida nos meandros culturais, morais e ideológicos. Recebemos dos nossos ancestrais este tipo de herança capaz de moldar a nossa forma de compreender as bases da sobrevivência do homem em comunidade.  Quando, porém, pesquisamos um pouco mais profundamente, vamos encontrar na língua hebraica uma posição um tanto diferente: Herança, (נחלה”) pronuncia-se “nachalah” e basicamente significa “possessão” ou “propriedade”, nos fazendo compreender que na visão dos mais antigos a herança já nos pertence desde sempre, estando a nossa posse limitada apenas as questões “sociais, culturais e religiosas” de uma determinada época. 

TODOS TEMOS DIREITO À HERANÇA

       Sim, a própria palavra de Deus nos chama de herança, pois todos somos filhos e como filhos a palavra nos chama de “Herança do Senhor (Salmo 127.3). De fato todos nós, Filhos do Altíssimo, temos garantida uma herança conforme aprendemos em 1ª. Pedro 1.3-4 – “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo! Conforme a sua grande misericórdia, ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, 4 para uma herança que jamais poderá perecer, macular-se ou perder o seu valor. Herança guardada nos céus para vocês.” – Esta herança nos foi garantida através da vinda do Messias até nós, que morreu na cruz, levando consigo todos os nossos pecados. Isto nos garantiu o direito legal à herança conforme compreendemos do latim, e também nos deu a plena posse do direito conforme entendemos no hebraico bíblico.
       Aquele jovem tinha uma herança para receber. Até então, na parábola de Jesus, falamos de uma herança física, mas é claro que o Messias está sendo mais profundo ao falar com os fariseus. Não é de uma herança em termos físicos que Ele está falando, mas sim de uma herança espiritual. A herança que o Senhor nos deixa é diferente da herança humana. Isto porque a herança do Senhor parte do princípio de posse, e posse é poder. Há um ditado popular que diz: “Filho de Peixe, peixinho é”. Deus nos deu autoridade para fazer curar pessoas, tocar em serpentes e escorpiões sem que nenhum veneno mortal possa nos fazer mal. Isto nos confere a “posse” de uma herança de imortalidade presente em nós desde agora e não apenas depois da morte. Deus quer abençoar a sua vida agora. Você tem plenos poderes sobre a herança do Senhor na sua vida e estes poderes são suficientes para satisfazer as suas expectativas, realizar os seus desejos em termos espirituais e seculares e principalmente estabelecer uma grande proximidade entre você e Deus.

Mergulhando na parábola
       O versículo 12 de Lucas 15 diz – “O mais novo disse ao seu pai: Pai, quero a minha parte da herança”. – Conforme já aprendemos a herança nos é dada por posse. Temos direito a ela, porém sujeita a determinadas regras. Vejamos: Em primeiro lugar o direito sobre a herança era do filho mais velho e não do mais novo. Isto, entretanto, não impediria o filho mais novo de desfrutar das bençãos do seu pai. Em segundo lugar, a herança do Pai estava disponível para os seus filhos. Eles podiam desfrutar do que o seu pai tinha desde sempre, porém só teriam a posse sobre ela após a morte do pai. O que temos então? Um filho sem direitos, querendo utilizar o que não lhe pertence, da forma errada e na época errada.
       Hoje há muitas pessoas sofrendo por querer utilizar o que ainda não lhe pertence. Isto tem nome e se chama prepotência! Quantas pessoas sem nenhuma capacidade espiritual estão se aproveitando dos púlpitos das igrejas, louvando a Deus sem santidade, pregando sem unção? Quantas pessoas nós vemos desfrutando de direitos que ainda não têm? Exemplo: Andando de carro sem carteira de motorista, comprando sem ter dinheiro para pagar, fazendo sexo sem ser casados. Estas pessoas estão cobrando de Deus algo que, de fato, não têm direito! E as consequências certamente serão graves. Romanos 1.28 diz – “Além do mais visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam. 29 Tornaram-se cheios de inveja, maldade, ganância e depravação...

Não toque no que ainda não é seu. 
Deus tem uma herança garantida para você. Espere o tempo certo e você será honrado

O texto de Lucas 15:12 termina com a seguinte frase – “...Assim, ele repartiu sua propriedade”. Talvez o Pai destes dois homens pudesse ter tomado uma providência, recriminando o seu filho e o colocando no seu devido lugar, mas este pai era misericordioso, compassivo e amoroso com os seus filhos. Percebemos aqui um amor supremo em se falando de filhos, o amor “fileo”. Este padrão de amor faria o Pai dar a sua vida pelos seus filhos. Você está percebendo alguma semelhança? Sim, este pai representa o próprio Jesus e Ele nos deu liberdade de escolha. Em 1ª. Coríntios 10:23 lemos – “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém. Tudo é permitido mas nem tudo me edifica”.

Você controla suas atitudes, mas os resultados estão sob o controle de Deus. O que você prefere? Ter controle sobre as suas atitudes, ou deixar os resultados por conta de Deus?

Os resultados da atitude inconsequente
       Como dissemos, você tem domínio sobre as suas atitudes, porém os resultados das suas palavras e das suas atitudes estão diretamente ligados aos Céus. O versículo 13 de Lucas 15 diz – “Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha e foi para uma região distante”. Existe uma dificuldade grande nos dias atuais inserida no fato da “modernização” dos textos bíblicos. Hoje há uma forte tendência de se adaptar textos ao nosso contexto atual. Um versículo pode servir de referência para muitas “bobeiras” quando não se tem um coração. Em 2ª. Pedro 3:8 lemos: “Não se esqueçam disto, amados: para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia”, da mesma forma o Salmo 90:4 fala parecido – “De fato, mil anos para ti são como dia de ontem que passou, como as horas da noite”. Textos como estes, mal interpretados, dão a entender que os resultados negativos de uma determinada atitude ou palavra não acontecerão tão cedo, ou quem sabe até não acontecerão durante os nossos dias de vida. Grande engano! Veja a parábola – “Não muito tempo depois...” – Isto mostra que o filho mais novo muito rapidamente sofreu interferências por causa da sua atitude.

E você ainda está achando que aquela sua atitude tão dura, ou aquela sua palavra pesada lançada contra alguém, vai durar tempo de gerar efeitos na sua vida? Hora de repensar!

       ...Até porque os resultados são nítidos veja – “o filho mais novo reuniu tudo que tinha e foi para uma região distante” – Vamos lembrar novamente? Quem representava o Pai? Sim, o próprio Espírito Santo, o Deus Jeová. Em palavras mais simples a tradução para este texto é: E o filho mais novo pegou todas as suas posses, quem sabe até mesmo sua família, e foi para longe do Pai, ou seja, longe de Deus. Perceba que em nenhum momento neste texto o pai manda o seu filho embora, o desejo de se “afastar do pai” partiu do coração do filho. Este homem compreendia que ao lado do pai não poderia satisfazer as suas expectativas, então para poder realizar os seus desejos a única forma seria ir para longe do seu pai e a confirmação para esta afirmativa está na sequência do texto – “... e lá desperdiçou os seus bens, vivendo irresponsavelmente”. Isto não é o que vemos atualmente? Pessoas afastadas de Deus, desperdiçando os seus dons, jogando fora os seus bens e vivendo de forma totalmente irresponsável? Quantos bêbados, transloucados, viciados estão do lado de for do nosso templo? Quantos irmãos em Cristo estão em casa agora, vivendo se eximindo da responsabilidade de adorar a Deus.

A princípio pode parecer “fantástico” faltar ao culto em um domingo, afinal achamos o “domingo maior”, mas depois de um certo tempo, “sai de baixo” porque as consequências vão vir pela falta do alimento. Não se exima da responsabilidade!

Colhendo o que plantou
2ª. Coríntios 9 nos ensina que colheremos de acordo com o que plantamos. Aquele homem plantou palavras duras contra o Pai, atitudes ainda mais duras. A Herança só se dava com a morte do Patriarca, assim como nos dias de hoje. Desejar a herança antes é como desejar a morte do pai. Foi isto que ele plantou. Agora vejamos o que ele colheu: O versículo 14 diz – “Depois de ter gasto tudo, houve uma grande fome em toda aquela região, e ele começou a passar necessidade”. Veja como o inimigo é astuto. Se houvesse acontecido um período de fome enquanto o homem ainda tivesse dinheiro, ele se tornaria muito mais rico, porém o inimigo esperou a hora certa para atacar. 1ª Pedro 5.8 – “O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar”. Fato! Na hora certa ele atacou a vida do filho mais novo. Ela já havia gastado tudo que tinha, se afastado do pai, estava  viciado nos prazeres do mundo e pronto para ser dilacerado. Veja que o inimigo é tão astuto que não aplicou um castigo voltado ao filho mais novo e sim sobre toda a região onde ele estava. Esta era a melhor forma de se certificar da grande necessidade que ele passaria.

Escravo do pecado
       Lucas 15.15 diz – “Por isso foi empregar-se com um dos cidadãos daquela região, que o mandou para o seu campo a fim de cuidar dos porcos”. Veja a situação do filho mais novo. Chegou na cidade como um homem proeminente, dono de muito dinheiro. Gastou tudo o que tinha e agora teria de ser um empregado para poder sobreviver. Para compreender a sua situação é necessário avaliar o contexto histórico da época. As palavras “servo”, “escravo” e “empregado”, são mencionadas nos textos bíblicos com a mesma grafia por várias vezes. Empregado poderia ser também um servo e servo poderia ser um escravo. No caso do “filho mais novo” certamente podemos dizer que o seu trabalho se assemelha ao trabalho escravo por alguns motivos. PRIMEIRO – O salário pago por um dia trabalhado equivale ao “denário”, algo em torno de R$ 40,00 reais, ou US$ 20,00 (Para este cálculo estou desconsiderando as pesquisas em torno deste tema que possuem várias vertentes e aplicando o conceito de salário base sindical + benefícios nos dias de hoje). Supondo que o nosso personagem na parábola estivesse recebendo estes valores, de certo ele não necessitaria se alimentar de restos de comidas conforme lemos. Sendo assim entendemos que: Ou ele estava trabalhando por proteção, comida, mesmo que ruim, ou ainda um valor irrisório, como se fosse um subemprego. SEGUNDO – A palavra de Deus nos informa que o filho mais novo foi cuidar de porcos. Em outras palavras ele foi ser “pastor de porcos”. Jesus está aplicando uma parábola aos fariseus, então estava em uma das cidades santas onde “jamais se poderia criar porcos”. Estes só poderiam ser criados nas cidades especificas para isto, geralmente situadas no distrito de Decápolis. Mesmo assim, criadores de porcos eram uma classe renegada de pessoas em virtude da consciência judaica em torno do animal. Para aceitar um trabalho como este o “filho mais novo” precisaria estar no seu último estágio antes de passar fome absoluta. Isto tudo nos leva a crer que ele se tornou um ESCRAVO  das suas próprias atitudes e palavras. João 8.44 – ...Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado”.

Você pode achar que está vivendo,
 trabalhando e se alimentando, mas se vive no pecado está escravizado.
       
Uma pessoa distante de Deus tem as portas de bênçãos fechadas. Distante do Pai, não recebemos nem o mínimo necessário para sobreviver – “Ele desejava encher o estômago com as vagens de alfarrobeira que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada”. Quantas pessoas nós vemos viver esta mesma situação. Por causa das suas palavra e atitudes hoje estão jogadas nas esquinas, perdidas. Ninguém sequer lhe dá moedas para a sua subexistência. É triste entrar em uma casa e ver que faltam tudo.

Deus não deseja isto para os seus filhos. Deus deseja o melhor para você. Você é servo de Cristo e todo servo de Cristo é servido pelo Senhor. Creia no Senhor, abra o seu coração e Deus vai abrir portas grandiosas na sua vida.
De volta à casa do Pai

       Amados só há um caminho. Existe um dito popular que diz – “Todos os caminhos levam a Deus”, visão Deista, inoportuna e incorreta, pois a verdade está em Provérbios 14:12 – “Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte”. Só há um caminho a seguir: O caminho da salvação, o caminho da cura, o caminho da libertação. No livro de Mateus 7.13-14 aprendemos assim – “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz a perdição, e muitos são os que entram por ela, 14 e porque é estreita a porta e apertado o caminho que conduz à vida, poucos são os que a encontram”. Foi por isto que ele nos disse – “Eu sou o caminho a verdade e a vida e ninguém vem ao Pai a não ser por mim (João 14.6)”. Jesus é o caminho da salvação, o pai é o caminho da vida eterna.

Hoje o Senhor está lhe fazendo um convite. Saia do ostracismo, saia do lugar onde você está e venha novamente para os caminhos do Senhor. A porta pode ser estreita mas eu tenho certeza que este estreito não é suficiente para te impedir de passar.

A partir de agora, o Senhor vai dar uma receita prática para todos nós quando ficamos longe do Pai por algum motivo, quando proferimos palavras duras que geram resultados negativos, ou quando tomamos atitudes que trazem escravidão espiritual.

       O resgate de uma vida parte de princípios e atitudes. Tudo isto está registrado nesta pequena parábola. Se você tiver olhos e ouvidos espirituais para compreender, Deus vai resgatá-lo de qualquer situação de dificuldade, tristeza ou escravidão espiritual.

Abra a seus olhos e ouvidos,
Prepare sua mente e receba o Poder de Deus

PRIMEIROLucas 15:17Caindo em Si... Somente tendo plena consciência do erro é que podemos ser libertos do tipo de prisão espiritual em que o pecado nos lança. Se você deseja recuperar-se de palavras ditas, atitudes e decisões tomadas que geraram prejuízo financeiro e espiritual na sua vida, este é o primeiro passo. Você necessariamente precisa reconhecer o seu erro, reconhecer o impacto das suas palavras na vida de outras pessoas, e tomar uma postura diferente em relação a elas. Atos 24:16 diz o seguinte: “Por isso procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens”. A consciência é o nosso tribunal, onde culpamos e absolvemos, desta forma, manter a consciência limpa significa estar livre de qualquer tipo de acusação que traga peso e sofrimento sobre a nossa vida.
SEGUNDO – Lembre-se da sua vida com Deus e da sua vida longe de Deus. A continuação de Lucas 15.17 diz – “...e ele disse: Quantos empregados de meu pai tem comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome.  Todos nós temos uma dádiva de Deus chamada “memória”. Ao mesmo tempo, o inimigo trabalha tentando apagar da nossa memória as coisas boas feitas pelo Senhor em nossa vida. Muito rapidamente esquecemos dos milagres, das bênçãos, das liberações e libertações que ele nos trouxe. Veja este texto e compare. Notaremos algo tremendo: Quando o “filho mais novo” saiu de perto da presença do pai, perdeu tudo e precisou empregar-se para “tentar sobreviver”, entretanto ao se lembrar dos empregados do seu pai, ele diz  - “os empregados do meu pai tinham comida de sobra...”. Como já aprendemos o pai nesta parábola representa Deus, então o que temos? Que os “servos” do “Senhor” têm “fartura” mesmo sendo servos. Nascemos para servir a Deus, João 12:26 – Se alguém me serve, siga-me e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir o meu pai o honrará. Mas também nascemos para ser servidos, Marcos 10:45 – Pois nem mesmo o filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.

Lembre-se dos seus bons tempos com Deus!
Deixe de lado palavras, atitudes e decisões 
que lhe afastaram do Senhor. Deus vai 
gerar provisão na sua vida, assim como 
na parábola, você vai ter de SOBRA!

TERCEIRO – Lucas 15:18 – “Eu me porei a caminho e voltarei para o meu pai” – Cair em si é bom, recordar os bons tempos é ótimo, mas para mudar a sua vida você precisará caminhar. Parando no primeiro e no segundo item o máximo que vai conseguir são boas lembranças e uma profunda sensação de arrependimento e estes não são os planos de Deus para você. Lembre-se você foi criado para vencer! Então Deus deseja vê-lo caminhar em direção a Ele, isto é o mesmo que dizer – “Caminhe em direção ao sucesso”. Meu irmão, há quanto tempo você está vindo à igreja? há quanto tempo você está se arrependendo, quem sabe até se sentindo culpado, hoje é dia de você começar a “caminhar”, é preciso prosseguir para chegar à vitória. Você é Herança do Senhor, e Ele quer encontrar com você na cidade celestial. Lucas 13.33 diz – “Mas, preciso prosseguir hoje, amanhã e depois de amanhã, pois certamente nenhum profeta deve morrer fora de Jerusalém!”

Esta mensagem é para você! Profeta não sou eu, é todo aquele que profetiza. Se você tem boca para profetizar, então tem pernas para prosseguir. Profeta não desiste, profeta insiste.
Profetas hoje é domingo,
Profetize vitória na sua vida!
Profetas amanhã é segunda,
 Profetizem bênçãos na sua vida!
Profetas depois de amanhã é terça, 
Profetizem vida eterna!

QUARTO – Lucas 15:21 – “Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado seu filho” – Cair em si é bom, recordar os bons tempos é ótimo, caminhar e essencial, mas o quarto e último item desta pregação abre a última porta de acesso ao sucesso na sua vida espiritual. Eu poderia dizer que só os fortes atingem o último obstáculo. Em Lucas 15:21 o “filho mais novo” reconhece o seu pecado. Em Lucas 5.32 Jesus disse – “Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento”.  Se há um povo festeiro é o povo de Deus. Recebemos convites para festas de casamento, festas de aniversário, mas quando falamos em termos espirituais há um dia onde se faz uma grande festa e este dia é o dia do arrependimento. Lucas 15.7 diz – “Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”.  Quando você se arrepender das suas palavras, das suas atitudes e das suas decisões, vai haver festas nos céus e quando há festas nos céus é impossível não sentir aqui na terra.

Uma pessoa arrependida e uma vida revestida de poder. O Senhor codificou esta mensagem na parábola do “filho pródigo” e nós vamos revelar e profetizar isto sobre a sua vida.

Colhendo os frutos do arrependimento
       A bíblia é um conjunto de livros inspirado por Deus, repleto de códigos especiais capazes de mudar a sua vida “da água para o vinho”, se me permitem o trocadilho. Lendo e interpretando conseguimos atingir altos níveis de bênçãos. O termo “parábola” vem do grego “parabolé” e significa “comparação ou analogia”, em termos mais simples é  emprego de uma linguagem figurada que transmite um conteúdo moral. A linguagem figurada então, é um “código”, a ser compreendido. Os versículos 19 a 23 de Lucas 15 nos dão os resultados daqueles que se arrependem e voltam. No versículo 19, o filho mais novo pensa em como iria falar com o seu pai. No seu coração nasceu o desejo de falar assim: Pai, não sou mais digno de ser chamado seu filho. Naquela época tanto o filho adotado, quanto o servo não podiam olhar diretamente nos olhos do patriarca, também não podiam sentar-se à mesa com ele, e nunca, jamais poderiam lhe dirigir a palavra sem à sua autorização. Esta é a estratégia do inimigo: Tentar confundir a mente do “filho que volta” para fazê-lo crer que não será bem recebido. Mas o inimigo não pode confundi-lo, nem a Deus. O tratamento do pai misericordioso é diferente.

Deus vai te abençoar antes de você chegar
       O versículo 20 diz – “Estando ainda longe, seu pai o viu, e cheio de compaixão, correu para o seu filho, e o abraçou e o beijou”. Este texto mostra a forma como Deus vê a sua criação. Quando tomamos a decisão de voltar, o Espírito Santo percebe de longe, e muito antes do que imaginamos podemos sentir o abraço caloroso do Senhor. Deus está constantemente procurando correr na sua direção. Durante todo o tempo Ele está nos olhando, procurando a oportunidade para sentar à mesa e cear conosco. Tente ver isto agora. Procure ver o Espírito Santo de Deus correndo na sua direção para abraçá-lo, dar-lhe um beijo e fazer festa pela sua volta. É desta forma que o Senhor deseja recebê-lo: Com festa e “transferências de bênçãos”. Certamente estas bênçãos vão fazer a diferença assim como fizeram na vida daquele “filho mais novo”.
      
O pai disse aos seus servos... Depressa!
       Aqui o pai misericordioso está falando com seus subalternos físicos, mas o pai celestial também tem subalternos especiais. No Salmo 91-11 ele diz – “Porque aos seus anjos ele dará ordens ao seu respeito, para que o protejam em todos os seus caminhos”. Quando você toma a posição de voltar, Deus dá ordens aos anjos para protegê-lo em todos os seus caminhos – “O Senhor te guardará de todo mal, guardará a tua alma. O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre (Salmo 121.7-8)”. Não tenha medo. Assuma as suas dificuldades, assuma suas palavras duras, assuma suas atitudes erradas. Deus certamente irá aplainar o seu caminho e tonar a sua jornada tranquila e isto vai acontecer DEPRESSA!
      
Você será revestido pelo poder de Deus
       Preste atenção no versículo 22 porque ele é muito poderoso – “Depressa, diz o Senhor, tragam a melhor roupa e vistam nele.” – Veja como a vida deste “filho mais novo” está mudando. Quando saiu da casa do Pai ele tinha uma herança física, conforme o entendimento moderno dos dias atuais, mas agora que voltou esta recebendo uma herança em forma de poder. Antes para ter servos ele precisaria pagá-los com a sua herança, agora os servos do pai estão ao seu favor, por ordem do pai. Isto é transferência de poder. Agora, as coisas continuam a mudar. O pai solicita aos seus servos que lhe tragam a melhor roupa. Lembre da vida deste filho “mais novo”, de fato o caçula, ele não teria direito a herança, por consequência, as melhores roupas eram para o filho mais velho, pois isto indicava a sua autoridade e o seu direito a herança junto aos servos. Agora que ele voltou, o poder mudou de mãos! O Senhor o estava revestindo de um nova roupa, e a melhor roupa nova. Em geral utilizamos roupas novas em festas de casamentos, aniversários, grandes encontros, etc. Era isto que estava acontecendo na vida daquele jovem. Ele estava sendo revestido pela melhor roupa de todas: O Espírito Santo de Deus! – “Em seu grande poder Deus é como a minha roupa, Ele me envolve como a gola da minha veste – Jó 30:18Romanos 8:18 diz – “...os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada”.

Tome coragem, volte para os braços do pai. Arrependa-se de palavras e atitudes antigas eo Senhor vai revelar sobre você glórias impossíveis de serem dimensionadas.
      
Você terá controle sobre a sua vida
       O versículo 22 continua nos abençoando. O pai ainda disse: “Coloquem um anel em seu dedo”. Dentro da estrutura social daquela época o anel era um símbolo de autoridade e também de autonomia. Cada família ou clã, tinha um anel, neste anel havia um brasão que não poderia ser encontrado em nenhum outro lugar. Através do anel, era possível saber a qual clã (tribo) ou família pertencia o portador do anel. Este anel era por direito utilizado pelo patriarca da família. Naquela época, um documento, para ter validade, deveria receber um carimbo e este carimbo era o brasão no dedo do Patriarca. Dar aquele anel ao filho mais novo representava um voto de confiança do Pai no Filho, pois ele poderia, a partir daquele momento, fazer o que bem entendesse com as posses da família.

Deus quer confiar em você tal e qual aquele pai confiou no seu filho mais novo. Abra o seu coração para Deus, e receba o anel de autoridade que lhe confere plenos poderes para tomar decisões na sua vida. Pense nas suas palavras, pense nas suas decisões, pense nos caminhos por onde você andou. Agora é o momento de voltar para os braços do Pai.

Você ficará imune às coisas do mundo.
       Ainda no versículo 22 o pai diz aos seus servos: “coloquem calçados nos seus pés”. Tal e qual utilizar roupas, os calçados também eram raros naquela época. Roupas em geral eram trapos velhos, utilizados por muitos anos, ou até mesmo peles de animais. Quando muito, servos utilizavam uma espécie de bandana protegendo os seus pés do chão. Somente pessoas de posse conseguiam utilizar calçados propriamente ditos. O “filho mais novo” saiu, gastou toda a sua herança e voltou pobre, maltrapilho e descalço. É assim que nós chegamos diante de Deus quando nos afastamos. Deus, entretanto, tem uma proposta diferente para a sua vida. Ele deseja dar a você um calçado para proteger seus pés das coisas deste mundo. É por este motivo que o Senhor chama o seu “evangelho da paz” de calçado, pois quando estamos vestidos com ele nada pode nos atingir. Nos tornamos intocáveis diante do inimigo e das suas setas inflamadas.

Talvez até este momento você estivesse descalço, mas agora, muito depressa, o Espírito Santo de Deus está colocando um novo calçado na sua vida, calçado de paz, harmonia, fé e autoridade.

Hoje é dia de Festa pois o filho voltou!
       A festa do Senhor é diferente da festa do mundo. O versículo 23 diz – “Tragam o novilho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e comemorar”. A versão Almeida Corrigida diz – “Tragam o cordeiro cevado”. Em um campo torna-se evidente haver muitos cordeiros, mas era costume separar um destes e “cevá-lo”, ou seja, alimentá-lo de uma forma especial para que no dia da Festa ele estivesse preparado para ser consumido. O pai misericordioso, separou um cordeiro para ser sacrificado no dia em que o seu filho voltasse para casa. Ele sabia que seu filho voltaria um dia.

       O nosso Pai Eterno também separou um cordeiro especial para cada um de nós e o enviou a terra para que pudéssemos retornar ao estado natural. Quem experimenta deste cordeiro passa por duas experiências especiais. A primeira é não perecer, a segunda é ter vida eterna. Foi para isto que o Senhor separou o seu cordeiro para que pudéssemos crer nEle e não morrer. No dia do sacrifício do cordeiro houve um grande terremoto na terra, mas eu tenho certeza que houve festa nos céus, pois muitos pecadores se arrependeram naquele dia. Eu diria que hoje haverá um terremoto nesta igreja, e uma festa nos céus, pois certamente o Senhor está falando ao seu coração sobre palavras que você disse, atitudes e decisões que você tomou das quais é necessário se arrepender. Quero convidá-los a orar neste momento. Certamente o Senhor estará entre nós fazendo festa pelo seu retorno, e pela sua vitória.

pr. altamir de souza
Na Visão de Multidões!
Shalom Aleichem, Aleichem Shalom
A paz seja convosco, convosco esteja a paz

Todos os nossos textos são liberados para estudos, pregações em pequenos grupos ou igrejas. A publicação dos textos entretanto só deverá ser feita mediante a autorização por escrito do autor.
UM RESUMO CONDENSADO DESTA MENSAGEM ESTÁ DISPONÍVEL PARA PREGADORES. SOLICITE GRATUITAMENTE ATRAVÉS DO E.MAIL - altamirdesouza@terra.com.br 
AJUDE-NOS A DIVULGAR ESTE BLOG.