segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Ser novo, ser nova


LEITURA BÍBLICA
João 1.1-13 - No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. 2 Ele estava com Deus no princípio. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. 4 Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. 5 A luz  brilha nas trevas, e as trevas não a derrotaram. 6 Surgiu um homem enviado por Deus, chamado João. 7 Ele veio como testemunha, para testificar acerca da luz, a fim de que por meio dele todos os homens cressem. 8 Ele próprio não era a luz, mas veio como testemunha da luz. 9 Estava chegando ao mundo a verdadeira luz, que ilumina todos os homens. 10 Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o reconheceu. 11 Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. 12 Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus. 13 os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus.

Retirarei deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne  (Ez 11.19)

Temos a promessa de renovação da vida quando a entregamos a Jesus, recebendo-o como Filho de Deus, que veio a nós justamente com esse propósito. Passamos com isso a ter o direito de ser chamados filhos de Deus. O abandono dos interesses antigos em troca desta boa oferta chamada de Evangelho será então um resultado normal e espontâneo. Apegamo-nos a novos valores, melhores que os da vida “de pecado”, diante de Deus; “Se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas”, escreve o apóstolo Paulo em 2ª Cor. 5.17. Nova vida, nova criatura, novos pensamentos, novos desejos, novos costumes, novos valores, tudo isso pressupõe um coração novo, coração “de carne” – vivo e sensível – e não mais “de pedra” – duro e morto. Agora, com o coração submisso a Jesus, livre da prática constante de pecado, livre das mazelas da vida sem Deus, passamos a ter mente de Cristo, como a Bíblia também descreve essa nova condição (1Co 2.16). Mas vida crista não implica atestado de isenção de problemas, de imunidade quanto aos dissabores da presente hora (crises econômicas, financeiras, de emprego, morais, sociais, espirituais). Temos problemas como quaisquer outras pessoas, com um diferencial:  (e) Deus nos dá força para passar por eles, como Jesus diz: “Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (Jo 16.33b). O homem não vai resolver seus problemas com leis, decretos, regulamentos, acordos, associações, instituições, etc. Só teremos a solução para todos os problemas, uma paz real e justiça efetiva com o retorno do Senhor Jesus, e as palavras do próprio Jesus nos garantem que isso ocorrerá, e esperamos que seja breve!