segunda-feira, 10 de setembro de 2012

As raízes do pecado


Provérbios  5.21-23  21 O Senhor vê  os caminhos do homem e examina todos os seus passos. 22 As maldades do ímpio o prendem; ele se torna prisioneiro do seu pecado. 23 Certamente morrerá por falta de disciplina; andará cambaleando por causa da sua insensatez.

...as maldades do ímpio o prendem, ele se torna prisioneiro do pecado  (pv 21.22)

V
ocê já deve ter se sentido preso a alguma coisa: Um objeto, uma pessoa, uma situação, enfim. O homem pelas suas próprias características tem uma forte tendência a estar sempre ligado a algumas coisas que formam as suas raízes. Quando falamos em raízes, muitas vezes não compreendemos exatamente o contexto da palavra, porém, avalie com atenção: Uma árvore, falando de forma bem simples, é composta de suas raízes, tronco, folhagens e frutos, agora preste bem atenção e perceba que as raízes, embora escondidas na terra, são responsáveis por gerar alimento e também manter de pé todo o restante da árvore, ou seja, se as raízes estiverem presas em solo ruim, a árvore não será forte, nem frondosa, nem dará bons frutos.
Hoje eu quero convidá-lo a se comparar a esta árvore e fazer uma profunda análise sobre onde estão presas as suas raízes. No livro de João 8:34 a bílbia diz: ... “todo aquele que vive do pecado é escravo do pecado”, ou seja se as suas raízes estiverem fixadas no pecado, evidentemente seremos escravos dele. O termo escravidão empregado em João 8:34 mostra a impossibilidade de servirmos a Deus diante desta situação pois Mateus 6:24 é enfático ao afirmar: “Ninguém pode servir a dois senhores. Ou há de odiar a um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ás riquezas”. Desta forma compreendemos que o pecado transforma o homem num escravo incondicional. Pessoas que buscam ganhar as suas vidas através de meios desonestos dificilmente conseguirão mudar o seu destino de morte espiritual, por enquanto não tiverem um encontro real com Deus e a situação é ainda mais difícil para quem conhece a verdade, pois se a conhecemos obrigatoriamente devemos estar livres do pecado – João 8:32 – “E conhecereis a verdade e a verdade os libertará .
É muito importante lutar contra o pecado de todas as formas, para ele não se tornar a raiz da sua sobrevivência. No mesmo livro em João 11:25, lemos ... “todo aquele que crê em mim, mesmo morto viverá”, ou seja: Há uma solução para estar livre do pecado, e esta situação é baseada na fé. Ainda no mesmo livro em João 3:16 lemos: “... para que todo aquele que nele crê, não pereça mas tenha vida eterna”. Aqui encontramos o verdadeiro alimento capaz de alimentar com qualidade “toda a ávore”: Fé! – Este é o alimento a ser consumido, o alimento a ser buscado e também dividido.
O alimento espiritual para a nossa alma não pode estar baseado em pecado, ou ter permissividade no pecado, pois se nele houver a função de fonte para a nossa vida este mesmo pecado agirá como senhor sobre as nossas atitudes, tirando-nos a visão e a sobriedade em relação a Cristo. Agora veja o que diz 2ª Timóteo 2.26 – “para que assim voltem a sobriedade e escapem da armadilha do Diabo que os aprisionou para fazerem a sua vontade”. Isto nos mostra que é necessário deixar de ser embriagado pelo diabo, em todos os sentidos  e voltarmos todos os pontos da nossa vida, em tempo todas as nossas raízes, para a verdadeira fonte, aquela de onde emana leite e mel. Desta maneira você poderá ter acesso a todas as promessas que o Senhor nos fez e desfrutar da firmeza e segurança que Ele nos coloca em Salmos 92:12-13 – “Os justos florescerão como a palmeira, crescerão como o cedro do Líbano; 12 plantados na casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus. Nele, por Ele e para Ele - Pr. Altamir de Souza

Plante suas raízes numa boa terra, e com certeza os seus frutos serão sempre os melhores...