quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A UNÇÃO DE JESUS ESTÁ EM NÓS


Uma palavra bastante especial utilizada há milhares de anos para refletir o poder de Deus sobre a vida dos que acreditam Nele. A palavra unção derivada do latim, pronuncia-se “ungere” e traduz-se por  “untar com óleo”, quando recorremos ao grego, encontramos a palavra “chrisma”,  traduzindo por  “ungido”.  Já no hebraico  a palavra unção tem o mesmo significado de “Messias”.
Independente da forma ou da raiz, se em latim, grego, ou hebraico, percebemos a “potência” da palavra  nos remetendo a uma grande responsabilidade pelo fato de estarmos nesta condição de “ungidos” do Senhor.
Em 1ª. Coríntios 10.31-33 – Está escrito: Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer  outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. 32 Não se tornem motivo de tropeço, nem para os judeus, nem para os gregos, nem para a igreja de Deus. 33 Também eu procuro agradar a todos, de todas as formas. Porque não estou procurando o meu próprio bem, mas o bem de muitos, para que sejam salvos.

O texto mostra a nossa responsabilidade como ungidos do Senhor. Qualquer coisa que fazemos, deve ser feita para a glória de Deus. Não interessa o grupo ao qual estejamos nos dirigindo jamais podemos levar a eles um motivo qualquer para se perderem ou perderem a sua possibilidade de salvação. Não estamos aqui para buscar as nossas próprias satisfações e sim para comprovar o poder de Deus e tirar muitos da perdição. Com tudo isto, precisamos compreender alguns fatos importantes da parte de Deus para manter esta posição sempre em destaque nas nossas vidas. Sendo assim, vamos destacar algumas coisas com as quais devemos estar entronizados visando atingir estes objetivos.
A SUA LIBERDADE EM CRISTO É ILIMITADA
Bem diferente da imaginação da maioria das pessoas o cristão possui uma liberdade ampla e ilimitada para poder tomar diversos tipos de atitude em sua vida e também para moldar o seu comportamento. 1ª. Coríntios  10.23 assim nos escreve: Tudo é permitido, mas nem tudo convém, tudo é permitido, mas nem tudo edifica. O texto nos leva a refletir a respeito do nível de liberdade que proporcionamos a nós mesmos e as responsabilidades implicadas nesta liberdade. Você tem liberdade ilimitada, porém a sua responsabilidade deverá estar voltada para as coisas do alto, aquelas capazes de edificar a sua vida. Ainda na continuação do texto de 1ª. Coríntios 10.23 lemos: Ninguém deve procurar o seu próprio bem, mas sim o dos outros. E como é difícil fazer isto nos dias atuais. Em geral presenciamos pessoas voltadas para os seus próprios umbigos, para as suas próprias dificuldades, seus problemas existenciais etc. Com o passar dos séculos e o advento da tecnologia da comunicação, o homem tem se tornado novamente recluso em sua caverna tecnológica, privando-se da comunhão com as outras pessoas e criando em perfil falso em relação as suas expectativas e sua realidade. Um erro grave! A unção presente em nós precisa ser utilizada à imagem e semelhança de Deus. É isto que aprendemos em 1ª. Coríntios 11.1Tornem-se meus imitadores, como eu sou de Cristo. Paulo nos adverte a controlar as nossas expectativas e o nosso padrão de comportamento dentro de uma via semelhante a de Cristo. Este é processo por si só é capaz de gerar bênçãos coletivas através de um posicionamento pessoal. Veja 1ª. Coríntios 12.7 – “A cada um porém, é dada a manifestação do Espírito visando ao bem comum
Há um princípio dentro da palavra de Deus utilizado até os dias de hoje e bem conhecido entre os católicos; O Catecismo, esta palavra vem do grego “KATEKKEO”, e significa. Ensinar (ou aprender) através da constante repetição. Quando comparamos 1ª. Coríntios 10.33 – “... Porque não estou procurando o meu próprio bem, mas o bem de muitos, para que sejam salvos” com 1ª. Coríntios 10.24 – “Ninguém deve procurar o seu próprio bem, mas sim o dos outros” e ainda com 1ª. Coríntios 12.7 – “A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito visando ao bem comum” – notamos claramente o mesmo ensinamento com propósitos diferentes. Jesus também utiliza esta mesma técnica ao utilizar parábolas diferentes para enviar a mesma mensagem.
Este princípio é utilizado em 1ª. Coríntios 12.13 para nos ensinar algo tremendo da parte de Deus: O ESPÍRITO QUE EMANA EM MIM EMANA EM VOCÊ – 1ª. Coríntios 12.13 diz: “Pois em um só corpo todos nós fomos batizados em UM ÚNICO ESPÍRITO. Quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber DE UM ÚNICO ESPÍRITO. Aprendemos aqui a compatibilidade espiritual existente entre todos os seres da terra, bastando para isto sujeitar-se  a autoridade e os ensinamentos de Deus. Abra o seu coração para Deus, receba esta unção espiritual e desfrute da autoridade e da paz do Espírito Santo em sua vida.
Aprofundaremos este tema com o título.
HÁ APENAS UM ESPÍRITO, APENAS UMA UNÇÃO VERDADEIRA, COM DONS E MINISTÉRIOS DIFERENTES.
Pr. Altamir de Souza. Nele, por Ele para Ele!